quinta-feira, 24 de setembro de 2015

ARTIGO: UMA GLÓRIA NO SERTÃO

Imagem: Mais Sertão
Ontem circulou a notícia de mais um grande empreendimento a ser aberto em Nossa Senhora da Glória: uma filial da gigante do varejo, Magazine Luiza.  Acompanhado da notícia vinha o anúncio da abertura de vagas de emprego.

PRESTEM ATENÇÃO! LEIAM BEM!

Em tempos de crise econômica e aumento do desemprego, a Boca da Mata não para de dar sinais de contínuo desenvolvimento.

Continue lendo, clique aqui.

O mais interessante foi o fato de essa notícia chegar através de um canindeense, que tentava comparar a situação dos dois municípios.

Um indo à falência. Anúncios de empreendimentos com risco de baixarem as portas. Sediava o instituto de desenvolvimento de tecnologia para o semiárido em seu território e permitiu que fosse abandonado. Trabalhadores sendo demitidos… e o assunto que não sai da boca do povo é? Política. Sim! Política!

O outro… aaah! O outro anunciou ainda no semestre passado a instalação de uma fábrica de rações; tem um distrito industrial bem estabelecido; vai receber um campus universitário. Trabalhadores sendo contratados… e Política também é o tema mais debatido.

A reais diferenças entre a capital e oásis do Sertão? As administrações municipais ao longo dos últimos anos olharam de maneira diferente para os seus municípios. O povo olhou de maneira diferente. Embora a receita municipal de Canindé seja quase o triplo e o PIB per/capita o quíntuplo, o número de empresas registradas e ativas em Glória é o dobro (Cadastro Geral de Empresas, IBGE).

A maior fonte de sustento para os glorienses está no comércio, na indústria e na agropecuária. Para os canindeenses resta o serviço público (cerca de 70% dos empregados), aquele contrato na prefeitura… muitas das vezes arranjado por um padrinho político.

Esse é o diferencial. Apesar de todos fazerem das disputas políticas uma partida de futebol, na capital uma opinião dada nem sempre vai lhe custar o emprego. No oásis, infelizmente, a alienação política é o preço a se pagar para garantir o sustento da família, muita das vezes. Disse e repito. Enquanto isso não mudar, vamos continuar perguntado: por que lá sim e aqui não?

Já este aspirante a escritor… nascido em e apaixonado por Canindé; filho, neto, bisneto, trisaneto (etc) das glorienses famílias Oliveira e Aragão; formado pelas duas cidades… espera pelo dia em que possa se orgulhar do pleno desenvolvimento de ambas.

Que Glória continue dando exemplo ao resto do Sertão.
Que Nossa Senhora, padroeira da região, ilumine a todos!


Por Denisson Santos
Canindeense, católico, apaixonado pelo Sertão, quase doutor em Engenharia de Processos. Aprendiz na Política, amante da leitura.
denissantos17@gmail.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Amigo/a, agradecemos pela sua visita e comentário.