terça-feira, 2 de junho de 2015

HORA DA 13 DE JULHO DIZER "BASTA" E BATER AS PANELAS

Paulo Victor Melo,  jornalista
Quem passa pela 13 de Julho percebe que, desde o início do ano, algumas das janelas mais caras do estado estampam uma bandeira com o nome "Basta" e uma mão com quatro dedos, manchada, ao que parece, de petróleo.

Não entrarei na discussão sobre o simbolismo do movimento, que, de forma preconceituosa e opressora, explora a deficiência de uma pessoa. Vou direto ao ponto do que me interessa aqui.

Segundo declarações públicas de algumas das suas lideranças, o "Basta" é uma forma de expressar a indignação com uma única questão: a corrupção, o mau uso de recursos públicos.

Continue lendo, clique aqui.

Pois bem, se a indignação das janelas da 13 de Julho com a corrupção é tamanha a ponto de pendurar bandeiras, essa é a melhor hora para o "movimento" dar as caras.

Uma reportagem de mais de uma hora no programa Conexão Repórter, do SBT, exibida na noite deste domingo (31), desnudou uma operação criminosa de favorecimentos pessoais e desvios de recursos da merenda escolar no município de São Cristóvão. Uma verdadeira quadrilha, expressão utilizada pelo experiente jornalista Roberto Cabrini, que tem a participação já confirmada de empresários e funcionários ligados à Prefeitura, além de suspeita de envolvimento da própria prefeita Rivanda Farias e do seu marido, o ex-prefeito Armando Batalha.

Um dos envolvidos no caso, ou melhor, um dos coordenadores da rede criminosa, atende pelo nome de Everaldo Gama, da Gama Distribuidora. Um legítimo especialista em corrupção. Onde ele mora? Justamente próximo às janelas da ética e da moralidade, num dos edifícios mais caros da própria 13 de Julho.

Então, não há dúvidas: agora é a hora de demonstrar a indignação com a corrupção e, quem sabe, fazer um bandeiraço do Basta na porta do senhor Everaldo Gama?

Além do bandeiraço, essa seria uma ótima oportunidade também para ouvirmos o som de batidas de panelas ecoando das janelas da 13 de Julho.

Caso faltem panelas vazias para bater, basta acionar a prefeita Rivanda Farias e pedir umas das inúmeras panelas vazias das escolas municipais de São Cristóvão. Panelas que estão vazias porque gente como Everaldo Gama resolveu usar o recurso público da merenda escolar de crianças e adolescentes para custear a sua vida de luxo e mordomias.

As janelas da 13 estão dispostas a tal empreitada?


Paulo Victor Melo, jornalista.
Artigo publicado originalmente na coluna do Portal Infone

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Amigo/a, agradecemos pela sua visita e comentário.