sábado, 11 de abril de 2015

MANCHA ESCURA NO RIO SÃO FRANCISCO - SERÁ UM CRIME AMBIENTAL?

:
Foto/Divulgação
A Companhia de Saneamento de Alagoas (Casal) confirmou que sedimentos da barragem de uma hidrelétrica localizada na cidade de Paulo Afonso, na Bahia, foram lançados diretamente no rio São Francisco, nessa quinta-feira, e provocaram uma extensa mancha escura no leito. Já estão sob análise dos técnicos do Instituto do Meio Ambiente (IMA) de Alagoas amostras da água e um laudo mais preciso será divulgado.

Continue lendo, clique aqui.

Técnicos da Casal, que trabalham numa subestação na cidade de Delmiro Gouveia, perceberam o problema nessa quinta-feira e, imediatamente, informaram os órgãos ambientais. Como se trata de uma área federal, a responsabilidade ecológica do São Francisco é do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama).

O diretor de monitoramento e fiscalização do IMA, Ermi Ferrari, disse que equipes estavam se deslocando até a área onde o problema foi detectado para avaliar melhor a situação. Somente após a análises das amostras da água será possível descobrir o que, de fato, aconteceu. A primeira impressão que a Casal teve, e já analisou posteriormente, é que se trata de material sedimentado, acumulado no fundo da barragem e que foi lançado nessa quinta-feira.

"Pelas fotos que visualizamos na internet, percebemos que se trata de um grande impacto ambiental. Porém, não é possível adiantar o que pode acontecer, quais as consequências para o rio e de quem é a responsabilidade. Por enquanto, tudo está na base da investigação. Quando o laudo for divulgado, as providências judiciais e administrativas devem ser tomadas", comentou o diretor.

Segundo ele, se for comprovado de que se trata de sedimentos o crime ambiental estará caracterizado. Os responsáveis, de acordo com Ferrari, serão notificados, multados e ainda responderão a processo judicial e a procedimento administrativo. Também vão ter que reparar o dano causado ao meio ambiente. O impacto para os moradores da região do Sertão também está sendo avaliado. Por enquanto, o abastecimento de água para alguns municípios foi suspenso pela Casal até que se comprove o que aconteceu no São Francisco.

Pela explicação do diretor, os sedimentos, quando lançados ao rio, podem soltar gases, que afetam a qualidade da água. Por este motivo, se trata de um crime ambiental.

Até a publicação da matéria, a resposta não havia sido dada. Nenhum representante do Ibama foi localizado pela reportagem.

O gerente de qualidade da água da Casal, Alfredo Monteiro, informou que foram detectadas mudanças na qualidade físico-química da água do rio São Francisco. Assim que o problema foi constatado, o bombeamento para as cidades do Sertão foi suspenso por tempo indeterminado.

Brasil 247 /Alagoas

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Amigo/a, agradecemos pela sua visita e comentário.