sexta-feira, 8 de agosto de 2014

SINDICATO DOS JORNALISTAS REPUDIA CENSURA, MAS COBRA APLICAÇÃO DO CÓDIGO DE ÉTICA DO JORNALISMO

Paulo Sousa: presidente
Paulo Sousa: presidente do Sindijor
Através de uma nota, o Sindicato dos Jornalistas do Estado de Sergipe (Sindijor) se manifestou, na noite desta quinta-feira 7, sobre a decisão da Justiça de interferir no trabalho de setores isolados da imprensa de Sergipe, censurando mesmo o que entende como abusos. Mantendo a cultura de defender os jornalistas sergipanos e o direito à livre manifestação, o Sindijor repudia qualquer tipo de censura. 


por, Joedson Telles /Universo Político 

Todavia, não sem antes “puxar a orelha” dos jornalistas que desrespeitam as leis eleitorais e, simplesmente, “esquecem” que existe um código de ética na profissão, para seguirem uma linha, não jornalística, centrada na imparcialidade, mas à reboque da preferência política dos proprietários ou mesmo diretores dos veículos de comunicação.

“O Sindijor, preocupado com o momento pré-eleitoral, orienta os profissionais da imprensa a se atentarem ao que determina a legislação eleitoral em vigor, como forma de evitar transgressões às normas eleitorais vigentes e possíveis punições que a lei preveja. Também orientamos a diária aplicação do Código de Ética da profissão, prezando sempre pela informação precisa e correta, independentemente da linha política de seus proprietários e diretores ou da natureza econômica de suas empresas”, diz a nota, assinada pela Direção do Sindijor, evidenciando a defesa do jornalista, mas não do jornalismo atrelado qualquer que seja o grupo político.

Veja nota na íntegra
Sindijor repudia decisões judiciais que afrontam a liberdade de imprensa

O Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado de Sergipe (Sindijor/SE), entidade de representação dos jornalistas sergipanos, preocupado com o momento pré-eleitoral, orienta os profissionais da imprensa a se atentarem ao que determina a legislação eleitoral em vigor, como forma de evitar transgressões às normas eleitorais vigentes e possíveis punições que a lei preveja.

Também orientamos aos jornalistas a diária aplicação do Código de Ética da profissão, prezando sempre pela informação precisa e correta, independentemente da linha política de seus proprietários e diretores ou da natureza econômica de suas empresas.

Ao mesmo tempo, o Sindijor/SE repudia, veementemente, a censura aplicada pela Justiça a alguns jornalistas sergipanos, vítimas da arrogância, prepotência e perseguição de grupos políticos, geralmente ligados à direita em Sergipe, que não aceitam a investigação jornalística, críticas e muito menos o livre exercício da profissão.

Tais práticas, que tentam retroagir ao período ditatorial, prejudicam o exercício do Jornalismo e compromete a liberdade de imprensa em Sergipe. A função precípua do jornalista é apurar os fatos e informá-los de forma ética, responsável e independente, tendo sempre por finalidade o interesse público.

Lamentamos que o Poder Judiciário, que deve zelar pela liberdade de expressão e respeitar o trabalho dos jornalistas, adote uma postura que vai contra um dos principais pilares da democracia: a liberdade de imprensa.

O Sindijor/SE se solidariza com os colegas e espera que o Poder Judiciário reveja tal medida que fere os princípios basilares da democracia.

Diretoria do Sindicato dos Jornalistas do Estado de Sergipe

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Amigo/a, agradecemos pela sua visita e comentário.