sábado, 16 de agosto de 2014

SAÚDE: PROGRAMA SAÚDE DA FAMÍLIA REDUZ MORTES POR DOENÇAS CARDÍACAS E CARDIOVASCULARES

Créditos: Divulgação
Estudo publicado no British Medical Journal (BMJ) conclui que, em uma década, a mortalidade por doenças cardíacas diminuiu 21% nas cidades atendidas pelo Programa Saúde da Família (PSF), no Brasil. Já as mortes causadas por doenças cerebrovasculares diminuíram 18%. Não houve efeito do PSF nas mortes por acidentes, usadas como grupo de controle, segundo o estudo.






por FPA
O estudo avaliou indicadores de 1.622 municípios (cerca de 30% dos municípios brasileiros) entre 2000 e 2009 e comparou municípios com cobertura do PSF incipiente, intermediária e consolidada e constatou que os efeitos positivos na diminuição de mortes por doenças cardiovasculares aumentam de acordo com a duração do programa, pois intervenções para reduzir riscos de doenças cardiovasculares requereriam certo tempo antes de atingir seu efeito completo. Segundo o estudo, a cobertura do PSF está associada também a uma redução nas taxas de internação relacionadas a doenças cardíacas e cerebrovasculares: a redução da mortalidade por doenças cardiovasculares não seria devido a um aumento de hospitalizações, mas à maior proximidade à assistência à saúde primária e de forma gratuita.

Doenças cardiovasculares são a principal causa de mortalidade entre as doenças crônicas não transmissíveis no país e exigem um sistema de cuidados primários de saúde forte, especialmente em países de baixa e média renda, como o Brasil, que vivem a transição demográfica, o envelhecimento da população e mudanças epidemiológicas.

O PSF é um programa que investe na atenção básica mais resolutiva e humanizada e é definido pelo Ministério de Saúde (MS). O Programa é realizado por equipes compostas por um médico, um enfermeiro, dois auxiliares de enfermagem e seis agentes comunitários de saúde (ACS), baseados em uma unidade básica de saúde (UBS). Cada equipe é responsável pelo acompanhamento de cerca de 1.000 famílias. Criado em 1994, é o maior do mundo em seu gênero, segundo o estudo referido, estando presente em 95% dos municípios do país e atendendo 53% da população brasileira. Entre 2000 e 2009, a cobertura do programa aumentou 227%, o que se reflete em melhoria de indicadores de saúde.

Fundação Perseu Abramo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Amigo/a, agradecemos pela sua visita e comentário.