quarta-feira, 6 de agosto de 2014

"INFELIZMENTE O VEREADOR SÓ TEM O PODE DE FALAR" COMO ASSIM?

Foto/Divulgação
A agenda (os interesses) política dos governos de Israel e da Palestina é diferente da agenda (interesses) dos povos das duas nações. Em Canindé, os interesses do Poder Executivo (prefeito) e do Poder Legislativo (vereadores) vai na contramão do que o povo quer para o Município.








Valdir Inácio
Formado em Gestão pública

Para início de conversa o vereador é a pessoa responsável por fiscalizar os atos e ações do Poder Executivo, nesse caso o prefeito. O vereador é o cidadão eleito pelo povo para representar os interesses da comunidade, mesmo porque o mesmo é bem pago para desempenha sua função. E como tal deveria fazer valer o voto que recebeu na urna. O vereador é o cara que cria leis, aprecia e votar. Ou seja, sem os vereadores o prefeito não vai para lugar algum na sua administração. Então, a falácia de que vereador só tem poder para falar não coerente, mas sim enganoso.

O município de Canindé está vivendo uma crise administrativa, onde o principal prejudicado é o povo, sobretudo os mais carente. E pate dessa culpa é dos vereadores.Pois...

Não foi os cidadãos canindeenses que aprovaram a Lei Complementar nº 01 de janeiro de 2013 que modificou a estrutura administrativa do município de Canindé, onde criou 20 órgãos diretos (12 secretarias, 7 coordenadorias com status de secretaria e 1 vice-prefeitura). 

Não foram os cidadãos canindeenses que autorizou a Prefeitura contrata os serviços de uma OSCIP (Organização da Sociedade Civil de Interesse Público) para maquiar contratos. 

Não são os cidadãos canindeenses que tem o poder de fiscalizar os contratos da Prefeitura com as empresas prestadoras de serviços (limpeza, transporte escola, obras e etc.). Nenhuma despesa do Poder Executivo (prefeitura) pode acontecer se não tiver o aval da Câmara de Vereadores.

A sociedade canindeense não aceitar mais fingimento, ao contrário, precisa saber quem de fato estar ao seu lado. Não com palavras solta ao vento, mas sim, defendendo ações que beneficiem o coletivo de forma séria e compromissada. A sociedade precisa de uma resposta rápida e eficaz.

A guerra travada entre Israel e a Palestina é algo que vem matando milhares de inocentes de ambos os lados. Em Canindé, os Poderes Legislativo e Executivo são tão letais quanto o que acontece entre Israel e a Palestina. Pois, não se mata apenas com balas, bombas ou mísseis, mas também com postura e ações amadora na gestão pública e política.

A agenda (os interesses) política dos governos de Israel e da Palestina é diferente da agenda (interesses) dos povos das duas nações. Em Canindé, os interesses do Poder Executivo (prefeito) e do Poder Legislativo (vereadores) vai na contramão do que o povo quer para o Município. Espero que um dia possa reescrever esse artigo falando o contrário dos dois Poderes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Amigo/a, agradecemos pela sua visita e comentário.