segunda-feira, 30 de junho de 2014

Alemanha e Argélia se enfrentam em Porto Alegre


Getty Images#

SERGIPE, Canindé Argelinos tentam repetir sua primeira partida em Copas, quando bateram os alemães em 1982.


por Portal da Copa, da redação

A colônia alemã é grande no Rio Grande do Sul, mas antes do confronto desta segunda-feira (30.06), pelas oitavas de final da Copa do Mundo, quem já brilhou no Beira-Rio, durante a fase de grupos, foi a Argélia. Em uma atuação convincente, os africanos golearam a Coreia do Sul por 4 x 2 há oito dias. No estádio, os jogadores contaram com o apoio de uma torcida volumosa, ruidosa e apaixonada. Por isso, o técnico Joachim Löw e o capitão Phillipp Lahm, da Alemanha, sabem que terão muito trabalho pela frente.

Antes do treino de reconhecimento ao gramado, Lahm foi enfático na cautela e no respeito ao adversário. “O jogo será em campo, e só um vai passar. A Argélia vai buscar a vitória, quer mostrar que mereceu chegar até aqui. Não será fácil para nós”, disse. O capitão alemão admitiu que a equipe assistiu a diversos vídeos da seleção da Argélia, afirmou saber o que terão de fazer para avançar na competição e fez um resumo dos africanos. “Eles têm uma defesa compacta, não gostam de perder uma disputa sequer. Não é uma equipe agradável de se enfrentar. Teremos de ser agressivos na defesa e no ataque”.

Temperatura amena

Lahm espera, entretanto, que o clima ameno de Porto Alegre favoreça a prática do futebol com menor desgaste físico em relação às partidas disputadas em Salvador, Fortaleza e Recife. “É mais fácil sair do calor e jogar no frio do que fazer o contrário. Esperamos ter adotado a estratégia correta de preparação, no sul da Bahia. Mas isso somente se comprovará se superarmos a Argélia”.

O técnico Joachim Löw disse ainda estar pensando sobre a formação que levará a campo para a partida. Ponderou que conversaria com a comissão técnica à noite, após o treino, para definir a estrutura tática mais adequada para enfrentar a Argélia, e manteve indefinida a opção entre Schweinsteiger e Khedira. “Ambos chegaram para a Copa sem as melhores condições. Mas são líderes e exercem influência positiva sobre os jovens”.

Löw também sinalizou que o grupo vem analisando profundamente os argelinos. “Não foi surpresa que a Argélia tenha passado às oitavas. Vimos muitos jogos deles na Copa e antes, nas eliminatórias. Têm muito talento, uma defesa firme, lutam muito e o ataque é perigoso. A campanha da primeira fase mostra que eles mereceram passar”.

Getty Images#Halliche diz que a Argélia jogará com velocidade e técnica; Lahm gostou das temperaturas mais amenas de Porto Alegre
Getty Imagens
Halliche diz que a Argélia jogará com velocidade e técnica;
Lahm gostou das temperaturas mais amenas de Porto Alegre
No jogo de palavras, antes do apito inicial, a partida se confirma quente. Afinal, o discurso argelino é de concentração total para fazer uma partida histórica contra a Alemanha. Arriscando um português bastante razoável, o zagueiro Rafik Halliche, que atua pela Associação Académica de Coimbra, comparou Alemanha e Coreia do Sul para pontuar o tamanho do desafio. “Os alemães têm tradição, história, técnica. Esse será um jogo diferente, então vamos ter cautela sem perder nossa característica, de velocidade e técnica. Vamos jogar o jogo. Queremos ir às quartas de final. Será difícil, mas estamos concentrados nisso”.

Para o técnico Vahid Halilhodzic, sua equipe terá de ser excepcional para superar os alemães. Segundo ele, os três títulos mundiais já conquistados e a condição de candidata ao tetra em 2014 fazem da Alemanha favorita no confronto. Mas Halilhodzic promete surpreender novamente em Porto Alegre. “Contra a Rússia, na última partida da primeira fase, tínhamos muito a perder. Agora, não. Temos muita ambição. Queremos ir ao Rio, ao menos para passear em Copacabana”, brincou.

Questionado mais de uma vez sobre o enfrentamento da Copa da Espanha, em 1982, quando a Argélia estreou na competição batendo a Alemanha, Halilhodzic projetou uma partida marcada pela motivação nas duas equipes. “Eles irão buscar a vingança. Eu tenho trabalhado a cabeça dos jogadores para tirar deles a ideia de que são uma grande zebra. Esse é o jogo mais importante da competição para nós. Quando jogamos aqui (no Beira Rio) pela primeira vez, vimos muitos torcedores brasileiros nos aplaudindo. Será difícil, mas tenho convicção de que as pessoas irão se surpreender positivamente com o futebol que iremos apresentar contra a Alemanha”, finalizou.

Mais informações detalhadas do jogo e como chegar ao estádio, clique aqui.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Amigo/a, agradecemos pela sua visita e comentário.