quarta-feira, 28 de maio de 2014

Segundo ministro, país antecipou em cinco anos internet 4G, que ficará como legado da Copa

Herivelto Batista/ MC#
Herivelto Batista/ MC
SERGIPE, Canindé Telebras investiu R$ 110 milhões na construção de 740 km de rede de fibra óptica nas 12 sedes e R$ 14 milhões na ligação com as concentrações onde ficarão as seleções. Paulo Bernardo, chefe da pasta de Comunicações, participou de audiência no Senado.





por Portal da Copa, da redação


O ministro das Comunicações detalhou as ações do Governo Federal para a Copa do Mundo de 2014, nesta terça-feira (28.05), em audiência pública no Senado. Os serviços de telefonia e internet 4G, as redes de fibra óptica e o reforço na estrutura da Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) foram alguns dos assuntos destacados por Paulo Bernardo.

Segundo ele, o Governo Federal colocou como obrigação das operadoras no leilão do 4G realizado em 2012 que a implantação da tecnologia fosse "casada" com a realização das copas das Confederações e do Mundo. A implantação do 4G no país seguiu este cronograma, antecipando em cinco anos investimentos para que essas cidades fossem servidas com internet ultrarrápida que ficarão com moderna infraestrutura de comunicações.

Paulo Bernardo afirmou, ainda, que em algumas arenas do Mundial o acordo entre os gestores dos estádios e as operadoras não foi concluído para o fornecimento do serviço wifi e dos serviços regulares de telefonia 2G, 3G e 4G.

"Esta é uma negociação privada e deve ser resolvida entre as partes. Não é um assunto que caiba ao poder público resolver". Segundo o ministro, o wifi ajudaria a descarregar as redes de telefonia dentro dos estádios durante os jogos.
Fibra Óptica

A rede nacional de banda larga (fibra óptica) montada pela Telebras como parte das obrigações do Governo Federal com a FIFA será usada na Copa do Mundo para o transporte dos sinais de áudio e vídeo entre as arenas e o Centro Internacional de Transmissão, localizado no Rio de Janeiro.

"Todas as instalações foram feitas de maneira a garantir com qualidade o funcionamento da rede de fibra óptica de alta capacidade necessária para a transmissão dos jogos", destacou Bernardo.

A Telebras investiu R$ 110 milhões na construção de 740 km de rede nas 12 cidades-sede, e R$ 14 milhões na ligação com as concentrações onde ficarão as seleções.

O ministro acrescentou que este é um serviço que tem que estar perfeito já que a expectativa é ter 500 milhões de pessoas assistindo à abertura da Copa do Mundo e cerca de um bilhão o encerramento.

O reforço da fiscalização e estrutura da Anatel, no valor de R$ 170 milhões também foi mencionado por Bernardo. "O Brasil sai mais preparado nos serviços de telecomunicações", garantiu.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Amigo/a, agradecemos pela sua visita e comentário.