segunda-feira, 20 de janeiro de 2014

Canindé volta a jogar contra o Itabaiana na próxima quarta-feira dia 22/01

CANINDÉ, Sergipe - No Presidente Médici, o time do Canindé enfrenta o Itabaiana pela 4ª rodada da Copa Governador do Estado. 






por Valdir Inácio, da redação

Jogo anterior

A equipe do Itabaiana desbancou o time do Canindé pelo placar de 3 a 1. O Itabaiana vinha de duas derrotas seguidas. Agora o Grupo A está embolado.

  • 1º lugar: Coritiba 6 pontos  (3 jogos; 2 vitórias e 1 derrota).
  • 2º lugar: Socorrense 6 pontos  (3 jogos; 2 vitórias e 1 derrota).
  • 3º lugar: Itabaiana 3 pontos  (3 jogos; 1 vitória e 2 derrotas).
  • 4º lugar: Canindé 3 pontos (3 jogos; 1 vitória e 2 derrotas). 

Antes de fazermos qualquer ponderação, temos de enaltecer a determinação e empenho dos atletas do time do Canindé e sua equipe técnica. Mesmo não encontrando o jogo ideal, a entrega em campo é algo que deve ser plausível. Em especial, do melhor jogador do time, Jean Cássio. Nesses três jogos o atacante, Jean, mostrou que tem totais condições de ser um dos melhores jogadores do Sergipão 2014, se não o melhor. Basta apenas manter o que vem jogando atualmente. 

Canindé - gestão, estádio, clube, politicagem e etc.

Não é novidade que o modelo de gestão da Federação Sergipana de Futebol é um dos mais atrasados do país. Consequentemente, esse atraso também se reflete nas equipes 'profissionais' do Estado. O futebol sergipano a cada ano torna-se mais vulnerável e fraco. Podemos confirmar essa pequena tese apontando a desistência de equipes tradicionais como: River Plate, São Domingos, Olímpicos e outras mais.

O time do Canindé também sofre as consequências por não ter uma diretoria organizada, capaz de realizar um planejamento que permita no mínimo manter a equipe na divisão de elite do certame estadual. A novela de que o time não recebe apoio do Poder Local (prefeitura) é algo que precisa romper barreiras. Isto é, a Prefeitura não pode patrocinar clube empresa, pois a legislação não permiti. Mas, pode com certeza dá o apoio logístico para que o 'clube' possa mandar seus jogos em um praça esportiva com estrutura minima necessária. 

O Estádio

É constrangedor para o torcedor ter que presencia a falta de administração do Estádio no que se refere a grama não cortada, a sinalização apagada (laterais, escanteios, áreas e etc.), refletores abaixo da potencia necessária, sem esquecer dos vestiários precários, sem nenhuma condição de receber os atletas e a equipe da federação. A própria Federação Sergipana de Futebol denunciou a situação nas súmulas dos jogos, confira clicando aqui. Se tratando dos banheiros disponíveis para os torcedores, apenas o da parte de baixo funcionam. A torcida que fica do lado esquerdo da entrada do portão e na arquibancada superior, se quiser satisfazer suas necessidades fisiológicas, tem que se deslocar até o outro lado para utilizar os sanitários, pois os banheiros daquelas dependências estão fechados. 

Até entendemos que a legislação não permiti que a Prefeitura patrocine o time do Canindé. No entanto, o município de Canindé tem a obrigação de manter em perfeitas condições suas praças esportivas, e isso inclui o Estádio Municipal André Avelino. Pois, os cidadãos canindeenses e aqueles que veem de outros municípios merece respeito. Onde está os recursos (dinheiro público) destinado a Secretaria de Esportes? Será que a Prefeitura está tão pobre que não tem condições de sanar tais problemas? 

A Politicagem

A prática é algo que ajuda na busca pela excelência seja em qual área for da profissão e da vida. No futebol, não é diferente. 

No município de Canindé, o que é para ser fácil tornar-se complicado. O time do Canindé fez sua pré-temporada na cidade vizinha de Piranhas/AL. E, continua treinando lá, por não ter espaço  no Estádio Municipal André Avelino. O que pasma nisso tudo é o fato de que nesse período não está acontecendo nenhuma competição municipal realizada pela Secretaria de Esportes. Então, o porque desse tratamento?

O Clube

É visível as dificuldades financeiras que o clube passa. O 'empenho' do gestor do time e sua equipe não está sendo suficiente para superar todos os desafios impostos. Essa dificuldade é reflexo da falta de organização e planejamento do clube. A cultura do futebol profissional ainda não aterrissou na diretoria do clube/time do Canindé. E, como resultado disso surge a insatisfação e desconfiança  da torcida. Além da desmotivação dos jogadores, uma vez que os compromissos financeiros não são cumpridos. O dito popular que "brasileiro não desiste nunca é uma verdade", mas fica complicado para o torcedor acreditar no inacreditável. 

Os atletas e a torcida

A maioria dos torcedores vai ao estádio e paga o ingresso na esperança de ver os jogadores dá o máximo de si em campo. É verdade que nem sempre o dia é perfeito e o planejamento realizado na preleção é colocado em prática. Quando isso não acontece, uma minoria da torcida exagera na reivindicação e desconta nos jogadores sua ira. E, agora?

O jogador 'profissional' tem que entender que sempre será cobrado. E, deve está preparado para isso. Não é atoa que é considerado profissional, ou seja, diferenciado. Agora, o que não podemos aceitar é a anarquia de uns pouquíssimos torcedores em querer resolver os erros jogando cerveja nos bandeirinhas ou mesmo agredindo verbalmente jogadores e equipe técnica. A esses, nosso repúdio!


Nossa intenção com esse escrito é nada mais que registrar os fatos. Respeitamos e sabemos da luta da diretoria para manter a equipe. Assim como entendemos que a Prefeitura de Canindé poderia dá uma parcela de contribuição maior nessa história. Enquanto isso não acontece, resta apenas a diretoria do Canindé, se organiza em todos os sentido e correr contra o tempo para manter-se na divisão de elite do futebol sergipano. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Amigo/a, agradecemos pela sua visita e comentário.