sábado, 30 de março de 2013

Artigo: "Uma jornada pelos direitos da juventude"

Foto: Divulgação/
Jornada Nacional de lutas da Juventude
CANINDÉ, Sergipe - Em todo o país, têm sido articulados atos, debates e passeatas como parte das mobilizações da Jornada de Lutas unificada da juventude brasileira. Mais uma demonstração de que ao contrário do que o senso comum ou certa opinião publicada tentam sugerir, os jovens não se encontram distantes da política ou dos grandes temas nacionais.



Por Secretaria Nacional da Juventude/
Severine Macedo

Neste processo inédito de articulação, movimentos sociais e organizações de amplos setores da juventude brasileira convocaram, a partir de um manifesto e reivindicações comuns, mobilizações em todo o país pelos direitos da juventude e por reformas estruturais no Brasil. 

Mobilizando jovens trabalhadores do campo e da cidade, juventudes partidárias, movimentos sociais, entidades estudantis, organizações da juventude negra, feministas, culturais, religiosas, LGBT e ambientais, a jornada tem partido de uma forte convicção de que a unidade da juventude é o caminho das mudanças. 

Além da unidade, a jornada incorpora a diversidade de bandeiras da juventude em reivindicações mais amplas, a exemplo da reforma política e das comunicações, da defesa dos royalties do petróleo para a educação, da redução da jornada de trabalho, da reforma agrária e da luta pelos direitos humanos com pautas específicas da condição juvenil, como o enfrentamento à violência contra a juventude negra e da periferia, a aprovação do Estatuto da Juventude e a oposição às propostas de redução da maioridade penal, entre tantas outras.

Considerada em outros momentos como uma questão secundária, diante dos grandes temas políticos, econômicos e sociais do país, o entendimento da juventude como uma fase da vida que demanda direitos e políticas públicas específicas é uma idéia recente, que vem se desenvolvendo há apenas alguns anos no Brasil.

São bandeiras comuns às da jornada de lutas da juventude que também tem mobilizado os esforços da Política Nacional de Juventude. Respondendo a resolução mais votada na 1ª Conferencia Nacional de Juventude e diante de uma realidade em que os homicídios são hoje a principal causa de morte entre os jovens - atingindo especialmente os jovens negros das periferias e das áreas metropolitanas dos centros urbanos - o governo federal lançou o Plano Juventude Viva, com o objetivo de ampliar direitos e a prevenção da violência contra a juventude brasileira. 

Nos próximos dias, a juventude também se articulará para conquistar em lei a garantia de seus direitos. A jornada de lutas coincidirá com um momento decisivo da tramitação no Congresso Nacional do Estatuto da Juventude, que é uma declaração de direitos dos jovens que contou na sua elaboração com grande participação da sociedade e dos movimentos juvenis.

Por essas e outras bandeiras comuns em defesa dos direitos da maior geração de jovens da história do Brasil, iniciativas como a Jornada de Lutas da Juventude são muito bem vindas. É a tradução de uma unidade em que a autonomia e emancipação da juventude são vistas como parte da construção de um projeto de desenvolvimento sustentável e popular para o país.

* Severine Macedo é Secretária Nacional de Juventude da Secretaria-Geral da Presidência da República.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Amigo/a, agradecemos pela sua visita e comentário.