sexta-feira, 8 de fevereiro de 2013

Carnaval: um negócio que gera "mazelas e riquezas"


Divulgação
CANINDÉ, Sergipe - O festejo da festa profana mais badalada começou. E, consigo traz uma série de situações que geram mazelas sociais, ao tempo em que impulsionam a economia do país.

Não é novidade que o carnaval é uma celebração de origem pagã, originária na Grécia. Na época os gregos realizavam seus cultos em agradecimento aos deuses pela fertilidade do solo e pela produção. Em seguida os gregos e romanos incrementaram bebidas e práticas sexuais na festa, tornando-a intolerável aos olhos da igreja.

Valdir Inácio 
Graduando em Gestão Pública


Divulgação
Por volta de 590 d.C, o carnaval foi adotado e comemorado pela Igreja Católica. A festa passou a ser comemorado através de cultos oficiais, o que acabava com os "atos pecaminosos", condenados anteriormente. Tais modificações causou espanto aos olhos do povo, uma vez que fugia das reais origens da festa, antes festejado pela alegria e conquistas. 

Durante o Concílio de Trento, 1545, os festejos carnavalescos voltaram a ser uma festa popular. O carnaval chegou ao Brasil em 1723, através de desfiles de pessoas fantasiadas e mascaradas. Somente no século XIX que os blocos carnavalescos surgiram com carros decorados e pessoas fantasiadas como acontece atualmente.


Quem é o Rei Momo?


abril.com
Segundo a mitologia grega, Momo é o filho do sono e da noite; e é o deus da zombaria, do sarcasmo e da ironia. O Momo era conhecido como o protetor daqueles que se entregavam a loucura, ao escândalo, aos vícios e aos excessos. Era representado como um bufão (bobo, palhaço), que usava um gorro com guizos, um cetro e uma máscara. Atualmente o Momo é a figura central dos carnavais.

Quais são os aspectos negativos do carnaval?

A idolatria é o principal aspecto negativo do carnaval, já que degrada o ser humano fazendo regressar a um primitivismo espiritual idêntico dos povos bárbaros e ignorantes da antiguidade. Durante a celebração do carnaval há um aumento bastante considerável no consumo de álcool pela população. Este, por sua vez, traz consigo inúmeros problemas sociais, como a violência familiar, a violência nas ruas, a desintegração familiar, intoxicações, acidentes de trânsito, aumento no índice de prostituição, HIV/AIDS, gravidez indesejada e por ai vai.

Divulgação
Outros fatores negativos são: o consumo de drogas, pois há um aumento considerável no consumo, com consequências similares às produzidas pelo consumo de álcool; a fornicação e o adultério. No carnaval e dado não só transito livre para a prática do sexo ilícito, mas também é incentivado inclusive pelas autoridades. Ou seja, em muitos países o governo ou as autoridades municipais destinam um generoso orçamento, na propaganda e na compra de grandes quantidades de preservativos para serem distribuídos gratuitamente entre as pessoas nesta época. Aparentemente tudo isso tem uma finalidade de evitar doenças venéreas, mas na realidade o que ocorre é que, se haviam pessoas que por temor das doenças venéreas e por falta de dinheiro para comprar um preservativo tinham a intenção de absterem-se de cometer fornicação ou adultério, agora já não terá mais o porquê de fazê-lo, pois agora poderá obter um preservativo totalmente grátis. Sendo assim por que abster-se? Desta maneira, os valores e a moral na sociedade se veem seriamente deteriorados.

A negatividade continua com a proliferação de doenças venéreas. Isto é também uma consequência do ponto anterior. Já que tem muitas pessoas que se excedem no consumo de álcool, a tal ponto de não ser dono de seus atos e serem capazes de cometer os atos mais vergonhosos possíveis. Assim, não é de se surpreender que as doenças venéreas se expandam dentre a população.

Por fim, a gravidez indesejada. Diversos estudos realizados em países que celebram o carnaval demonstram que nove meses depois desta celebração, aumenta consideravelmente o número de nascimentos. A gravidez indesejada é outra das terríveis consequências do adultério e da fornicação. Isto desencadeia um problema muito sério para a sociedade, as crianças de rua. Muitas destas crianças são os produtos da gravidez indesejada e terminaram vivendo nas ruas, sendo vítimas de incontáveis sofrimentos.

E os pontos positivos?

Divulgação
Um levantamento realizado pelo coordenador do curso de MBA em Gestão e Produção Cultural da Fundação Getúlio Vargas (FGV) do Rio de Janeiro, Claudio D´Ipolitto, indica que o Carnaval tem impacto direto e indireto em ao menos 19 segmentos econômicos que podem ser separados em quatro grupos, e vão desde a fabricação de itens para a comemoração da festa até serviços de higiene e beleza, além dos setores que lucram com aqueles que querem fugir da folia. Com três das maiores festas de Carnaval do mundo: Olinda, Salvador e Rio de Janeiro, o Brasil tem em todo início de ano um impulso na economia (Diário Comércio Indústria e Serviços).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Amigo/a, agradecemos pela sua visita e comentário.