quinta-feira, 3 de janeiro de 2013

Canindé: agora é pra valer!



Heleno em discurso de posse
CANINDÉ, Sergipe - A política é uma arte. E, sendo uma arte deve ser usada para melhorar a vida de todos que dependem dela, os cidadãos.

Mais um ano começa e com ele, inicia-se mais uma nova gestão. Muitas propostas foram ditas no decorrer da caminhada. E, agora é o momento de começar a materializar o sonho e o milagre em realidade. Nós canindeenses, esperamos que a gestão do prefeito Heleno Silva, seja a melhor de todos os tempos. Que melhore todas as áreas da Administração Pública, ao ponto de nossa cidade ter a melhor qualidade de vida comparada com os demais municípios sergipanos. 

A seguir segue o brilhante artigo do blogueiro, Adeval Marques - Revista Canindé, ao qual republicamos.

Valdir Inácio
Graduado em Gestão Pública


Já que foi usado discurso político, então que se fale das coisas que precisam ser mudadas para o bem estar da população e desenvolvimento local. Um momento impar da da história foi desperdiçado em discursos que nos envergonham enquanto povo. As emissoras de rádios e outros meios de comunicações transmitiram o evento triste e indigno de ser apreciado. Fomos envergonhados. Autoridades presentes e outras figuras de fora devem estar avaliando a nossa pobreza política.

Quem se propõe a ser político deve colocar-se, antes de tudo, como defensor de uma causa, promover, buscar, perpetuar e equilibrar relações para achar o equilíbrio entre os seres que deliberam sobre uma sociedade. Quando estas observações falham, gerando conflitos e promovendo choque nas relações pessoais, implica em um sinal ruim e sob o qual toda sociedade estará refém dos que não tratam a à arte da “Política” como preconiza o seu conceito. 

Grupo dos seis Vereadores, G-6
Ontem, 01, o povo que estava presente na Arena Carlos Magalhães, foi servida de uma “entrada de mesa” nada agradável do que pode vir a ser o “prato” principal” na Câmara Municipal de Canindé de São Francisco durante o período de 2013 à 2014 quando a oposição estará dando as cartas na Casa por parte de alguns dos Vereadores da situação e oposição que já de inicio se desentenderam em suas relações. Tons pesados, discursos lamentáveis e descabidos ou desnecessários para o momento onde estava visível os desabafos voltados para o lado pessoal que propriamente político. O discurso pesado pela Vereadora Ivone Feitosa teve como resposta muitas vaias e gritos que ficou ensurdecedor o local e Francisco de Paes Andrade, já eleito Presidente, solicitou que fosse amenizados os ânimos para poder continuar com a solenidade. O cenário ficou feio e desagradável. 

Quando a eleição para a Presidência da Câmara Municipal decidiu Francisco de Assis Oliveira Machado como Presidente da Casa Legislativa por sete votos a cinco contra a chapa encabeçada pelo Vereador Adriano de Santana Feitosa “Adriano de Bomfim” deu-se inicio a primeira Sessão Legislativa onde a palavra foi franqueada para uso dos novos empossados. O Vereador Joselildo Almeida do Nascimento, ao transferir a Presidência para Francisco de Paes Andrade, foi o primeiro a fazer seu discurso começando por agradecendo pela sua segunda vitória, passando a referendar o grupo que lhe apoiou enquanto Presidente “2011/2012” na pessoa dos Ex-vereadores José Juarez, Edimilson Gomes dos Santos, Luciano Ferreira e Adriano de Bomfim, fez menção à Heleno Silva lhe desejando boa administração e em seguida fez uma reflexão sobre o seu mandato dizendo que sua “eleição para Presidente foi conturbada...” e que “passou vinte dias ausente com os Vereadores que lhe apoiaram porque assim precisava ser pelo fato de que recebiam propostas para votaram contra a ele...”. Finalizou repudiando a informação de que seu nome e dos demais Vereadores Adriano de Bomfim e Luciano Ferreira havia sido citado como “cobras criadas” da Câmara Municipal de Canindé de São Francisco. Sem citar nomes, muito menos tratar na pessoalidade, ele terminou seu discurso e outros Vereadores fizeram uso da palavra. 

Os demais discursos da maioria dos Vereadores foram leves, porém, nas entrelinhas observamos recados diretos e outros nem tanto assim como exemplos que poderiam ser citados, contudo, dispendioso para o artigo. O Prefeito Heleno Silva, pela habilidade que tem de homem de vários mandatos, deve ter percebido que em algumas falas existiam mensagens “emblemáticas” e cuja essência evidenciam (...) merecimento de “emboços”, não foi “extemporâneo” para o momento, pode se consolidar com o futuro e prescreve uma lacuna que, se alimentada, os revezes serão demonstrados no futuro. Canindé é a terra onde a dificuldade de fazer política grupal é a mais difícil do estado porque, ao quebrar “situações da própria união desses grupos”, contrariando interesses consegue-se implantar, involuntariamente, outras situações que vão se enraizando, ganhando corpo, dai em diante, tudo é possível. Canindé tem leis próprias. Foi sempre assim, o tempo ainda é presente e pode vir a dizer mais tarde. Começando errado não pode finalizar certo. 

Um discurso, em especial, da Vereadora Ivone Feitosa, provocou um show de vaias, gritos, palmas, risos e até impropérios devido as suas colocações que nada agradou a grande maioria presente quando, após agradecer sua vitória na eleição passada, ela dirigiu-se ao Prefeito Heleno Silva e solicitou-lhe que continuasse com os projetos da gestão de Orlando Porto de Andrade. Tão grande e longa foi a saraivada de vaias que o Presidente já empossado, Francisco de Paes Andrade, solicitou compreensão do público para continuar com os trabalhos. A Vereadora que, não se intimidou com as vaias, continuou com o discurso aumentando o tom para ser mais audível e cometeu outro erro quando dirigiu-se pessoalmente a Joselildo Almeida e acusando-ou de fazer o discurso diferente da prática, além de promover outras insinuações. 

Pecou a Vereadora por ferir um princípio de toda relação humana que é o de não expor a pessoa, não constrange-la publicamente e bem menos ser desmoralizada. Os motivos para que a Vereadora Ivone Feitosa agisse com tal postura para com o colega de vereança já são bem especulados por figuras do cenário político e a repercussão começa a chegar nas camadas sociais onde a política não passa de um mero período de eleição saboreado pelo sabor da disputa. Aos poucos o povo vai gostando de saber sobre “coisas”, começando assim a definir suas posições nesse “tablado” de jogo aprendendo a fazer parte dele. 

Os Vereadores Adriano de Bomfim e Luciano Ferreira fizeram seus discursos e mostraram amizade a Pank quando, em auxílio do colega, Luciano Ferreira, quarto mandato, em sua fala dirigiu-se à Heleno Silva dizendo “Quero pedir à você, Heleno, não dê continuidade ao que Ivone pediu. Não de continuidade a bagaceira que ficou em Canindé de São Francisco...”. A essa fala de Luciano houve aplausos intensos e gritos de apoios por parte dos populares. E continuou afirmando “Vou estar com você Heleno, até o dia em que você estiver agradando ao povo de Canindé e, principalmente, ao povo mais carente...”. Entre outras falas do Vereador percebeu-se o discurso mais centrado e com o tom convincente. 

Atual G-5 
O Vereador Adriano de Santana Feitosa “Adriano de Bomfim”, veterano pelo quinto mandato, também fez seu discurso e saiu em defesa de Joselildo Almeida dirigindo-se a Vereadora Ivone Feitosa dizendo “Gostaria de pedir a minha amiga Ivone que seja mais humilde”. Ao se referir sobre o fato dos Vereadores terem se ausentado para a formação do G-5 Adriano não poupou palavras e disse “Propostas como ela esta dizendo os cinco receberam e muita, muito mais do que agora (...)” Afirmou que as propostas vinham de autoridades e não de Vereadores (?). Ao finalizar foi categórico dirigindo-se a Vereadora e disse que não foi procurado pelo Vice-prefeito Avelar, nem por Rosa e nem por Heleno para fazer proposta escusa a quem quer que fosse e que não a procurou para fazer proposta indecente e sim para o solicitar voto, como é natural em um processo de eleição para a Presidência do Legislativo.

Foi tão infeliz o discurso da Vereadora Ivone que expôs até a imagem e o nome do novo Presidente da Câmara, Francisco de Paes Andrade, quando transcreveu o trecho em que disse que cogitaram de que ele é “semi analfabeto”. Alguns populares quem estava presentes ficaram boquiabertos e repudiaram o discurso. Outros, do grupo da situação, disseram que não estavam acreditando no que estavam ouvindo e que o tom e discurso era desnecessário para a ocasião e até poderia ser para outra ocasião, más, que para a proposta do evento era descabido e infeliz. Foram vários os comentários rejeitando a postura da nova Parlamentar Ivone Feitosa que é da área de educação, ocupou cargos políticos e cresceu em meio a política e hoje ganha uma cadeira para representar ao povo canindeense que precisa ter bons exemplos para evoluir na cadeia social que dignifica o ser. Foi infeliz, assim qualificou vários populares presentes e até autoridades.

Quando o novo Presidente, Francisco de Paes Andrade, fez uso da fala, num pequeno tempo cronometrado de 2.35 minutos, foi logo rebatendo dizendo “ninguém nasce sabendo”, contudo afirmou que foi procurado (?) para votar na chapa da situação. Ainda em seu pequeno discurso disse que vai estar junto com Pastor Heleno para construir uma nova Canindé. Foi leve, não feriu e nem pesou para lado algum da balança. Mesmo sem nunca ter um mandato deu um exemplo de comportamento político e polido, apesar de ser exposto como “analfabeto”. Da mesma as posturas dos novos parlamentares Eliel Caetano, Valdir Andrade e Ronildo Beserra quando foram serenos e comedidos não se aprofundando nos discursos e ajudando a aplacar o mau estar gerado. 

Antigo G-5 
Ao falar sobre a eleição da Câmara dizendo que lhe prometeram a chave do céu, numa clara referência para que ela votasse na chapa da situação, e não do seu grupo, Ivone acendeu o estopim curto para um bomba de múltiplas explosões. Pank não estava sozinho e por consequente Adriano e Luciano foram os principais articuladores para a formação da bancada do G-5 que culminou em Pank para presidir os trabalhos da Casa Legislativa. O grupo que acompanha a Ivone não fizeram comentários quando de suas oratórias preferindo não entrar no mérito da questão. Me pergunto: Será que é o fato de ter novas cabeças com ideais, posturas, política propriamente dita diferentes ou é o fato de aguardarem sobre o que virá?

Por último discurso político falou o Prefeito Heleno Silva que, com o auxílio de lap-top, agradeceu aos Vereadores, fez uma pequena linha do tempo sobre sua jornada, pontuou questões, enviou recados ao grupo de Secretários que esta lhe auxiliando, disse dos seus projetos, falou da queda da receita em Canindé e prometeu fazer e cumprir suas promessas de campanha com um trabalho voltado para os mais carentes. Finalizou, depois de falar por 20.26minutos, sem emitir uma só frase a respeito do incidente acontecido. Ponderou em preferiu garantir território político que criar, já de inicio, sequelas para a sua gestão administrativa e convidou a população a seguir em caminhada até o prédio da Prefeitura Municipal que se encontra na Praça Ananias Fernandes no centro da cidade. Registrou-se uma massa considerável de aproximadamente 3.500 à 4 mil pessoas.

A conclusão é de que para alguns Ivone Feitosa tem razão em estar descontente e para outros não. Após consultar a tantas figuras do cenário político, populares e até uma certa autoridade de peso sobre a análise da situação chega-se ao veredicto de que o sinal foi dado para desânimos e situações de atrito na Câmara Municipal e desse ponto em diante muita coisa merece cautela redobrada.

Canindé tem uma população de mais de 30 mil habitantes urgindo por melhorias e esses números tendem a crescer juntamente com a problemática social. Para garantir as mudanças necessárias que Canindé precisa na finalidade de reverter praticamente o pior PIB do Estado, redefinir o desenho da política de assistência social, colocar a educação em primeiro lugar no Estado e vir a ser referência nas áreas de saúde, política para a juventude, esporte e lazer, a questão da segurança e do crescimento das drogas, supervisão das fronteiras, geração de renda e emprego, fortalecimento do comércio, a questão da água com construção de barragens, cisternas, poços artesianos, turismo e entre outras questões que se fazem necessárias para o desenvolvimento sustentável da região é necessário deixar os conflitos de lato e todos nos darmos aos mãos em prol dessa construção para a posteridade. As rixas pessoais e os atritos devem ficar no último plano se assim os pares o quiserem, más, o povo deve ser poupado de teatro, pão e circo.

Como dissemos antes: “A política é a “arte e ciência de bem administrar, dirigir e governar uma nação”, também pode ser entendida como “habilidade no trato das relações humanas”. Entende-se por politicagem quando é mesquinha, tacanha e vil, colocando em contradição o conceito anterior do que vem a ser “Política”.

Todos que fazem parte dessa nova leva de políticos em Canindé são responsáveis diretos pelo futuro que foi prometido como melhoria significativa do desenvolvimento local, se os nossos representantes não se engajarem por resolver tantas questões de suma importância, jamais seremos o povo e o lugar que merecemos ser. Vamos ser mais “pobres” do que somos hoje e nos envergonharemos de não termos tido inteligência para escolher os nossos representantes e governantes. Estaremos mesmos fadados a ser um povo sem nada do que nos orgulhar, seremos simplesmente “pobres”.

2 comentários:

  1. Quero agradecer profundamente ao blog DirCanindé por publicar esse humilde artigo do qual escrevemos não com o sentido de polemizar o ato mais sim pela tentativa de ajudar a fazer com que os personagens engajados no processo reflitam sobre suas ações antes de as expor para o povo.

    Acho que para o momento tal postura foi desnecessária e o tempo desperdiçado com rixas onde ficou evidente um começo de choque de relações que já se precipitam sem necessidades. Por isso o artigo pergunta se "somos tão pobres politicamente" porque foi isso que demonstramos.

    Espero que a frase romana do Imperador Adriano quando disse "Ao povo: pão e circo" não prevaleça nesse novo cenário político que se inicia. Espero sinceramente.

    Caro Valdir Inácio, fico feliz em ver que seu blog tem tendencias de crescimentos assim como alguns outros em Canindé e assim fortalecemos a comunicação local fazendo-a sem dever nada a ninguém. Quero parabenizá-lo.

    Finalizo com mais uma vez agradecendo pela republicação do nosso artigo e ao passo de que, sinceramente digo-lhe, reforçando a parceria enquanto blogueiros e Comunicadores Sociais nesse nova mídia do Jornalismo Cidadão.

    desejando sucesso em sua jornada e prontificando-me a ajudar no que puder e for necessário.

    Grande abraço.

    Adeval Marques

    ResponderExcluir
  2. Enquanto blogueiros que usamos as redes sociais para ajudar a transparecer as ações dos poderes constituídos, assim com das ações da sociedade, devemos a cada dia fortalecer essa rede de notícias que criamos anos atrás.

    Esse é um mecanismo que temos garantido onde podemos nos manifestar sem medo de sermos censurados.

    Um abraço fraterno.

    Valdir Inácio

    ResponderExcluir

Amigo/a, agradecemos pela sua visita e comentário.