sexta-feira, 21 de dezembro de 2012

“Em 2013 vou-me embora. Canindé não tem nada a oferecer-me”.

CANINDÉ/Sergipe – “Vou-me embora. Terminei o ensino médio e não vejo em que trabalhar aqui. Quero fazer cursos, tentar uma faculdade e melhorar de vida para ajudar a minha família e meus pais. Aqui em Canindé só tem a prefeitura e os lotes que plantam quiabos. O comércio é pequeno pra empregar tanta gente e meus pais não podem pagar os cursos profissionalizantes que quero. Vou-me embora...”. Depoimento de M.S.F, jovem com 19 anos, filho de pessoas humildes, morador de um bairro em Canindé que concluiu o ensino fundamental e está indo para a capital do Estado à procura de emprego para custear as despesas de uma futura e possível faculdade.
Adeval Marques
Adeval Marques
www.revistacaninde.blogspot.com

"O primeiro método para estimar a inteligência de um governante é olhar para os homens que tem à sua volta." - Maquiavel


Heleno Silva e Rosa Maria
Iguais a tantos jovens de Canindé de São Francisco, M.S.F é mais um que pertence a população da camada social mais humilde. Filho de agricultor pela terceira geração ele é o primeiro de uma família de cinco irmãos. É o orgulho da mãe e do pai, exemplo para seus irmãos e até vizinhos. Todos, dos que conversamos, nutrem por ele carinho e muito respeito. O jeito dele é sereno, percebemos, e está sempre com o olhar distante como se pensasse muito em tudo à sua volta. 

Diplomação Heleno Silva
Esse ano, 2012, ele concluiu o ensino médio com boas notas, bom comportamento e também é tido, por seus colegas e amigos de classe, como um dos mais inteligentes e discretos. Afirmou que, em janeiro de 2013, mesmo contrariando os pedidos da mãe, partirá para Aracaju onde outros colegas de Canindé já se encontram e irá procurar emprego e fazer cursos preparatórios para o vestibular e tentar uma faculdade. 

Em parte do seu depoimento ao Revista Canindé ele disse: “Canindé nunca ofereceu nada para sua família...” “É humilhante ver minha mãe em uma fila para pegar o benefício do Pró-jovem no valor de R$ 130,00.. “O benefício ajuda a complementar a renda família, só que eu preciso me formar e ajudar minha mãe, meu pai e meus irmãos a melhorar a vida..”. “Meu pai ganha muito pouco e trabalha demais, é doente e tenho medo de algum dia receber a notícia de que ele faleceu no serviço...”. “Quero também tirar minha família do lugar onde moramos... tem meninos que usam drogas na esquina e até na frente da nossa casa influenciando meus irmãos..”. “Se eu não fizer nada terei o mesmo futuro que meu pai e os meus avós, por isso e outras coisas é que vou embora de Canindé...” “Um dia quero casar e ter uma vida digna e lembrar disso tudo apenas como uma lembrança”, depoimento de M.S.F. no dia 19 de dezembro de 2012. 

Crianças em uma barragem seca
Essa realidade, contida no depoimento de M.S.F., é muito comum na grande maioria da juventude canindeense que após concluir os estudos ficam ociosos na perspectiva ou esperança de que possam vir a conseguir um vinculo de trabalho no comércio local que ainda não se fortaleceu ou nos estágios oferecidos pela Prefeitura Municipal e até como um CC-Cargo Comissionado e por fim na agricultura local em trabalhos nada dignos desse jovens em pleno vigor físico e intelectual que poderiam muito bem ser aproveitados. 

A falta de uma política local voltada para eles é o principal fator para agravar profundamente essa realidade. Canindé, em todas as gestões que passaram, não conseguiu promover geração de emprego e renda para a população. No último governo, Orlando Porto de Andrade, foram oferecidos estágios para os jovens, más, o número não atendia a grande demanda deles. Outro fato é de que a Prefeitura ajudou com bolsas de estudos complementava com alguma ação financeira, seja como for, a política de inclusão voltada para o jovem na função de profissionalizá-lo nunca aconteceu, apenas alguns cursos do SESC, SEBRAE e SENAI atuaram timidamente fazendo com que as perspectivas aumentassem uma vez que, ao terminar o curso, o jovem tinha que, por si sós, procurarem espaços de trabalho em outros lugares já que o mercado interno não oferece vazão para absorver a demanda existente. Promoveu-se capacidade sem oferecer mercado de trabalho para ser aplicado o aprendizado. É positivo, contudo, efeito negativo também do ponto de vista de que em oito anos nenhum projeto para a implantação de pequenas indústrias se estabelecer aqui foi pensado. Erro da gestão? Falta de vontade política? Falta de planejamento social para as políticas voltadas à juventude? O que esperar da nova gestão? 

O certo é que o governo de Orlando Porto de Andrade está terminando e agora a população muda o foco de visão para a gestão de Heleno Silva como o mais novo Prefeito de Canindé de São Francisco. Depois que a cidade de Canindé foi instalada no lugar que está, passando a ser chamada pelos remanescentes da antiga que ficou demolida à beira do rio São Francisco como a “Nova Canindé”, já se passaram sete Prefeitos: Jorge Luiz com um mandato, Francisco Fernandes Feitosa, com um mandato, Delmiro de Miranda Britto, com três meses de administração e substituído por Hortência Carvalho e portanto um mandato, Genivaldo Galindo com dois mandatos, sendo que Rosa Maria Fernandes Feitosa terminou o último mandato de Genivaldo Galindo e por último Orlando Porto de Andrade com dois mandatos. Heleno Silva será o oitavo prefeito e precisa mudar essa realidade inexorável que vem se aprofundando no aumento da população onde cada vez mais percebemos o agravamento dos problemas sociais e sobre os quais sua origem está na falta de planejamento e aplicação de políticas públicas de acordo com essas realidades, como por exemplo a falta de emprego. 

Foto da Internet
Em outro dado que temos é o de que conversamos com um jovem de vinte e 24 anos que há cinco foi trabalhar numa barragem e hoje voltou para casa viciado em drogas (crack), maconha e álcool. Segundo a mãe, antes o comportamento do jovem era bom, calmo e alegre. Agora ele tem comportamento contrário, esta doente, sem dinheiro, é agressivo e sempre faz uso de drogas para dormir. Ainda segundo a mãe ele vive pedindo um trabalho e diz querer deixar o mundo das drogas, chora e esta depressivo. Esse jovem nasceu justamente no ano de 1988, ou seja, todos os governos que passaram por Canindé, digo, Prefeitos falharam com uma política de atenção para os jovens e o resultado hoje é esse: sem emprego, doente e usuário de drogas, por fim, um potencial que por falta de atenção de quem se candidatou e disse promover o bem para uma sociedade deu atestado de incompetência social e política. Toda a sociedade esta refém. 

A sociedade hoje espera em Pastor Heleno Silva a recuperação de mais de vinte e cinco anos de atraso social da região e especialmente a juventude que serão os futuros dignitários de Canindé de São Francisco. O futuro lhes pertence e para que estejamos seguros de que Canindé terá bons administradores é preciso que invistamos na educação e em todas às áreas da política para a juventude. Em um dos dez pontos da Proposta de Governo do Pastor Heleno Silva que tem por tema “Juventude 10”, no primeiro ponto está escrito: “Criação do Conselho da Juventude”, na verdade e essa é uma visão particular, deveria ser secretaria o item dois continua dizendo: “Geração de emprego e ampliação de estágios remunerados para estudantes de nível superior”, entre outros mais. São, em propostas como essas que os jovens estão se fundamentando para que a nova administração do governo Heleno Silva mude a cultura de atraso social e de desenvolvimento que se perpetuou até hoje. Inconcebível para um município com a renda, só nos Royalties, da casa dos R$ 10 milhões/mês. 

Sonhemos então com uma Canindé onde jovens, iguais a M.S.F., não precisem mais viajarem para buscar lá fora o que podemos ter aqui mesmo se planejarmos a Canindé do amanhã que queremos. Se conseguirmos nos planejar não veremos lágrimas nos rostos de mães desesperadas pedindo socorro por ver seus filhos irem embora e, em casos notificados e procedentes, voltarem diferentes do que um dia foram com vícios mundanos no uso de drogas e outros comportamentos nocivos e ruins para a formação social do nosso povo. Cada jovem que parte leva consigo um patrimônio inestimável do nosso povo. Neles estão contidos o verdadeiro legado da nossa sociedade, porque somos bons filhos dessa Ilustre Pátria Brasil e Sergipanos Canindeenses. 

Foto comício do Cuiabá
Eu me somo às lágrimas de Dona Maria, mãe de M.S.F que na tristeza de o ver partir, quando janeiro chegar, ficará mais triste ainda e dorida. Também me somo a Dona Antônia que chora pelo estado do seu filho doente e usuário de drogas e daqui, dessa cadeira e escrevendo eu peço ao novo Prefeito Heleno Silva e seu Vice Avelar Feitos, a Rosa Maria e a todos que farão parte do seu governo: “Olhem por toda Canindé e sintam as dores desse povo que só faz sofrer”. Eu também serei responsável se falharmos.

2 comentários:

  1. A população elege um governo para lhe representar enquanto povo e fazer as melhorias e mudança social que a sociedade precisa para se desenvolver.

    A juventude de Canindé espera há vinte anos por uma política voltada para eles. Desse tempo até os dias de hoje o que aconteceram foram paliativos e nenhuma política concreta e efetiva para eles. Muitos se tornaram pais e hoje são chefes de família apenas com a idade de dezessete anos em diante. Acredito numa proposta de projeto voltada unica e exclusivamente para eles e assim mudarmos a realidade atual.

    Obrigado por republicar o nosso artigo em seu conceituado blog.

    Abraços.

    ResponderExcluir
  2. A criação de uma Política Pública para a Juventude efetiva ajudará significativamente na resolução de muitos problemas atuais, assim como concederá um futuro melhor para as crianças de hoje. No entanto, cabe ressaltar também que se faz necessário investir em outras políticas públicas para que dessa forma toda as áreas da Gestão Pública seja contemplada. Consequentemente a dívida social com as classes mais vulneráveis será rompida e finalizada.

    ResponderExcluir

Amigo/a, agradecemos pela sua visita e comentário.